Com expressiva participação na economia do país, o agronegócio representa hoje pouco mais de 20% do Produto Interno Bruto (PIB), do Brasil. Até o final de 2018, esse número deve crescer 3,4%, de acordo com dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). Diante do potencial do setor do agronegócio, muitas empresas vêm investindo em diferentes tecnologias de aumento da eficiência e redução de despesas.

E, o que mais tem chamado a atenção, é a alta procura por ferramentas antes somente utilizadas na construção civil, com destaque para dois produtos. Um deles é a escavadeira, devido sua versatilidade em atividades como escavação de pequenos açudes, lagos, tanques para sistemas de irrigação, piscicultura, etc., assim como limpeza e preparação de terreno. O outro é a Carregadeira, que pode sem empregada nos terraceamentos, levantamento de curvas de nível, movimentação de cargas como fardos de feno, algodão, entre outras tarefas.

Esse aumento das vendas para o setor do agronegócio tem explicação na demanda crescentes por produtividade no Agronegócio. Os parâmetros operacionais e de produção vêm sendo alterados, o que intensifica a necessidade por equipamentos de maior porte, com maior capacidade produtiva e rapidez.

Um mesmo equipamento pode realizar uma vasta gama de trabalhos, de forma eficiente. Sendo assim, independente da sazonalidade da safra, sempre haverá alguma atividade para uma máquina de grande porte realizar.