Antes desacreditado, já é possível esperar por um 2017 de bons resultados no país do impeachment.

No início de 2016 as previsões para a economia brasileira não eram das melhores. Esperava-se um ano com queda constante do PIB (Produto Interno Bruto), aumento de índices como IPCA (inflação) e Selic (juros), além de uma moeda nacional ainda mais desvalorizada. Grande parte dessas previsões se concretizou e o país chegava cada vez mais perto do fundo do poço, com o desemprego beirando os 12 milhões e uma situação política completamente instável.

Com os eventos da última semana e as mudanças no comando do país, parece que a opinião do mercado e dos especialistas mudou, já sendo possível vislumbrar um 2017 com resultados positivos, embora ainda longe do que se viu até 2013. Segundo estes, a simples troca de comando dá certa tranquilidade aos investidores – que agora sabem com qual governo estão lidando – e pode fazer com que o dinheiro volte a vir de fora.

Mas afinal, o que podemos esperar para o futuro do país?

– Segundo relatório Boletim Focus – liberado toda semana pelo Banco Central e que conta com as apostas de economistas sobre os principais indicadores econômicos do país – o PIB brasileiro deve ter um crescimento de 1,30% em 2017, bem acima dos 3,20% negativos de 2016.

– Ainda segundo o Boletim Focus, a produção industrial, que também sofreu com a situação do país e deve fechar o ano com uma queda de 6 pontos percentuais, promete um crescimento de 0,50% em 2017.

– A taxa Selic, utilizada para calcular os juros, aparenta fechar 2017 em 11,00%, ante os 13,75% desse ano, indicando uma queda nas altas taxas vigentes no Brasil.

– Outro índice que deve cair é o da inflação. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) promete cair dos 7,34% de 2016 para algo em torno de 5,12% em 2017, diminuindo a alteração de preços ao longo do ano.

– Já a moeda brasileira não deve apresentar valorização ao longo do próximo ano. Segundo o relatório a expectativa é que o dólar feche o ano valendo R$3,26, enquanto ao fim do ano que vem a expectativa é que o valor seja de R$3,45.