O Brasil é o segundo maior produtor de soja no mundo e primeiro em exportação. Sendo o grão da oleaginosa a principal cultura do agronegócio do país, que possui ainda o maior potencial expansivo em relação à área de cultivo de soja, podendo ter sua produção duplicada. Visto isso, o Brasil pode, em pouco tempo, se tornar o maior produtor de soja do mundo, ultrapassando os EUA.

Em 2017, a exportação de soja cresceu em 32%, quando comparada ao ano anterior, de acordo com dados divulgados pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex), do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC), alcançando um recorde de 68,15 milhões de toneladas. E para o ano de 2018 as previsões são ainda melhores.

Após uma seca atingir a Argentina, terceiro maior exportador de soja do mundo, as perspectivas para a indústria da soja no Brasil foram impulsionadas. Segundo previsão da Agroconsult, serviço de consultoria, a exportação poderá atingir 72 milhões de toneladas, superando o recorde anterior.

Além dos números recorde na exportação, a previsão para a colheita do grão é de 119 milhões de toneladas neste ano no Brasil, apesar da falta de chuvas na região Sul.

“Se o tempo fosse tão perfeito quanto no ano passado, a safra de soja do Brasil teria ultrapassado os 120 milhões de toneladas”, disse André Pessôa, sócio-diretor da Agroconsult.