Com a decorrência da guerra comercial China x Estados Unidos, o andamento dos negócios e a ordem do comércio global vêm sendo afetados. Este momento cria uma janela de oportunidades para a soja da América do Sul pelos próximos dois anos.

Segundo Jose Pedro Sanchez, chefe do Union Agriculture Group Corp., um dos maiores grupos agrícolas do Uruguai, na medida em que o produto americano se torna menos competitivo, em função dos altos preços por conta da tarifação, não apenas o Uruguai, mas toda a América do Sul tem a oportunidade de fornecer ainda mais oleaginosas para a China.

Essa afirmação pode ser observada no Brasil, quando no início de junho, os chineses compraram o correspondente a pouco mais de 1 milhão de toneladas de soja.

Quando se trata de exportação nacional, os dados continuam mostrando números recordes. Segundo informações da Secretaria de Comércio Exterior (Secex), no acumulado do ano, as exportações brasileiras de soja já somam 51.550,6 milhões de toneladas. Ao contabilizar os números de toda a cadeia, as vendas externas chegam a 61,7 milhões.

 

Consequências a longo prazo

Blairo Maggi, ministro brasileiro da Agricultura e um dos maiores produtores de soja do Brasil, em entrevista à Reuters, declarou temer que o aumento da demanda externa por soja nacional pressione os preços locais prejudicando a competitividade no país.

Segundo ele, o país ganha a curto prazo, porém a médio e longo prazo, a grande demanda da exportação pode ser um problema, visto que o Brasil é um grande produtor de animais e o setor depende da soja para ração. Com isso, a China não pode contar com o Brasil para substituir a soja americana.

Além disso, a China importa quase dois terços da produção mundial de soja. Juntos, o Brasil e os EUA exportam cada um mais de um terço, e todos os outros países produtores somados dão menos de um terço. Assim, tirar os EUA da equação basicamente significa ter que pegar toda a soja do resto do mundo e toda a soja do Brasil para atender ao mercado chinês, sendo essa uma situação não realística.