A indústria agrícola está em constante desenvolvimento, procurando sempre por novas tecnologias que possam auxiliar nas plantações e tornar o custo de produção mais baixo, tornando assim o produto mais competitivo nesse mercado com tantos players. Essa inovação vem sendo implantada em todas as etapas da produção, buscando em cada uma dissolver um pouco do custo e adicionar mais agilidade e eficiência ao processo.

Uma das técnicas tidas como revolucionárias nesse mercado e que promete aumentar significantemente seus adeptos nos próximos anos é a Irrigação subterrânea por gotejamento, que tem em seus diferenciais o melhor aproveitamento da água e a possibilidade de atrelar a irrigação à fertilização, criando a nutri-irrigação.

O método criado em Israel tem como objetivo a melhor utilização do solo o maior aproveitamento da água por parte das plantas, que recebem os nutrientes diretamente em suas raízes. O sistema também é conhecido por sua eficiência, visto que o gotejamento leva à planta a quantia exata de água que ela necessita.

Se faz importante ressaltar que, embora muitos digam o contrário, essa tecnologia não significa, necessariamente, uma economia de água. O que ocorre no sistema é que a utilização da mesma se dá de forma mais correta, evitando o desperdício. Em sistemas comuns 85% da água chega, em média, à planta, enquanto na irrigação subterrânea por gotejamento esse índice chega aos 95%. O que ocorre, de fato, não é a economia da água, mas sim o melhor aproveitamento dela.

O processo já se encontra em grande parte das plantações dos Estados Unidos, Índia e México, e vê no Brasil uma oportunidade de crescimento, especialmente nas culturas de cana-de-açúcar, café e algumas frutas cítricas.