O Brasil é considerado um país de destaque na Agricultura 4.0, com o surgimento de diversas startups e produtos integrando e incorporando processos de agricultura de precisão. E mesmo com as dificuldades de acesso e o alto custo de importação de maquinário, o uso de máquinas com inteligência guiada por GPS para plantio, tratamento de pragas e colheita de precisão cresce cada vez mais.

No cronograma de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, já existe um portfólio de pesquisa sobre a transformação digital e a automação na agricultura, mostrando que o assunto tem sido foco de atenção.

“A tecnologia de informação é um caminho sem volta no mundo rural, que já vivencia a chamada “Agricultura 4.0”, baseada na produção digital.” – Silvia Massruhá, chefe-geral da Embrapa Informática Agropecuária.

Confirmando essa afirmativa, o presidente da empresa, Maurício Antônio Lopes, disse que a agricultura 4.0 pode abrir oportunidades de inovação e diversificação, essenciais para o país no futuro.

Não há dúvidas que existe um enorme potencial inexplorado em termos de processos de produção integrados, automação de processamento de dados, inteligência artificial, computação cognitiva e a aplicação de Ecossistemas Digitais Inteligentes na agricultura, mesmo com a Agricultura 4.0 já sendo realidade no Brasil.

Estar ligado nessas mudanças trará enormes resultados para as empresas, bem como um grande diferencial frente a concorrência. O fato é, a Agricultura 4.0 veio para revolucionar o agronegócio, portanto devemos abrir as portas para a nova revolução no setor agro!