Em um levantamento feito pelo portal Governo do Brasil, através da comparação de dados do Banco Mundial e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, foi constatado que, caso o Brasil contasse apenas com a produção familiar, ainda estaria no top 10 mundial do agronegócio.

Ao somar a agricultura familiar com toda a produção do Brasil, o país passa de oitavo para quinta maior, com faturamento de US$ 84,6 bi por ano.

“O crescimento do Brasil passa pela agricultura familiar. O agricultor familiar tem grande importância para o crescimento do Brasil”, afirma o secretário da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, Jefferson Coriteac.

Conforme o último Censo Agropecuário, a agricultura familiar é a base da economia de 90% das cidades brasileiras com até 20 mil habitantes. Além de ser responsável pela renda de 40% da população economicamente ativa do país.

 

O que é um agricultor familiar?

 A Lei 11.326/2006 diz que agricultores familiares são aqueles que praticam atividades no meio rural, possuem área de até quatro módulos fiscais, mão de obra da própria família e renda vinculada ao próprio estabelecimento e gerenciamento do estabelecimento ou empreendimento por parentes. Também entram nessa classificação silvicultores, aquicultores, extrativistas, pescadores, indígenas, quilombolas e assentados da reforma agrária.