Os maiores nomes do mercado automotivo afirmam que a busca pelo novo e diferente é uma tendência que tem tudo para ser um grande diferencial competitivo para quem o possui. Os consumidores hoje não querem mais ter o que todos têm, eles querem o oposto, querem o que ninguém tem. Mas como a indústria se encaixa nessa realidade? Como utilizar uma linha de montagem onde cada produto chega ao fim de uma forma diferente? E ainda assim, como fazer com que esse diferente seja o mesmo que o consumidor quer? Essas são algumas das perguntas que diretores de grandes marcas do setor estão se questionando e são, hoje, as perguntas que valem milhões.

Para conseguir se adaptar a tantas mudanças no mercado, as empresas investem no relacionamento com os clientes, elas procuram entender seus desejos antes que eles o sintam, tendo assim o tempo para preparar o produto ao desejo do cliente. Contudo, a mentalidade das pessoas mudou, e a grande quantidade de informação que surge a todos os momentos faz com que elas estejam mais propensas a descobrir novas situações a todo o tempo.

As empresas buscam um novo modelo de indústria, onde a famosa linha de montagem agora se adapta ao cliente e possibilita o resultado seja mais direcionado ao perfil do consumidor. Ainda assim as modificações para se adaptar a esse modelo podem ser muito caras e trabalhosas para algumas companhias.

Muito mais que mudanças físicas, as empresas precisam nesse momento de mudanças de mentalidade. As companhias são e sempre serão voltadas para o cliente. Quem não colocar os desejos dele acima dos próprios não sobreviverá em um mundo tão competitivo e desafiador.

Esse é o desafio que foi aceito pela Controlflex ao iniciar a Política Integrada, assumindo seu compromisso em buscar a satisfação das necessidades e expectativas dos clientes e de outras partes interessadas, através de um trabalho contínuo de desenvolvimento de nossos colaboradores e de nossos parceiros de forma geral.

Fonte: Automotive Business