O Brasil é reconhecido como uma das maiores referências em agronegócio no mundo. Estamos entre os maiores produtores de alimentos e exportadores de insumos. O mercado agrícola brasileiro, já consolidado, está sempre em busca de novas e diferentes metodologias para expandir seu domínio no setor. Mas há um problema, o custo dessa expansão recai justamente no recurso necessário para tornar isso possível: a água.

O setor agrícola é o maior consumidor de água no Brasil. Segundo dados da Agência Nacional de Águas (ANA) e do Fundo das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), a cada 100 litros de água tratada utilizadas no Brasil, 72 são encaminhadas para o agronegócio.

A questão obviamente precisa ser esclarecida com mais informações, visto que os poucos dados apresentados não são suficientes para gerar conclusões. A verdade é que não há produção no campo sem o uso de água. A água é vital para o trabalho agrícola tanto quanto para o consumo da população.

A economia ficou mais complexa nas últimas décadas. O crescimento populacional também fez aumentar a preocupação com o aumento do consumo de água e alimentos. A inquietação atual é entender como ocorrerá o provisionamento de água nas próximas décadas e qual o grau de responsabilidade das empresas que atuam no setor agrícola sobre essa questão.

De acordo com a SRB (Sociedade Rural Brasileira), apenas 10% dos hectares são irrigados, das cerca de 60 milhões de superfícies agrárias dedicadas à agricultura brasileira. Ainda assim, a maior quantidade de água usada é originada da própria chuva e de metodologias avançadas de controle do recurso.

Em um país que está à beira de sofrer novas crises hídricas, é fundamental que as empresas ganhem a capacitação adequada para evitar o desperdício de água. O objetivo sustentável do produtor rural passou a ser ganhar maior produtividade consumindo a menor quantidade de água possível.

O produtor rural pode priorizar técnicas de irrigação apropriadas e condizentes com as práticas sustentáveis adotadas atualmente, investindo em sistemas que vão diagnosticar o quanto de água deve ser usado em várias culturas, além de estudar o manejo apropriado do solo.

As melhores práticas sustentáveis são acompanhadas de perto pelo Grupo Controlflex, que assumiu a preservação do meio ambiente como uma responsabilidade organizacional. Buscamos em nossas ações diárias, a conscientização de todos os envolvidos nos processos da empresa, colaboradores, fornecedores e clientes.