Nos últimos anos, o mercado automotivo tem sofrido com os severos efeitos da crise econômica e política no Brasil. Este cenário tem refletido nas vendas e na produção de veículos, que continuam em queda. Surgem então os questionamentos: Será que 2017 pode ser o ano da virada para o setor automotivo?

Para analisar essas questões e propor alternativas, foi realizado em São Paulo o evento “Workshop Planejamento Automotivo 2017”, promovido pelo Automotive Business (especializado em negócios e relacionamento na indústria automotiva). As discussões apontaram que esse difícil cenário tende a se estabilizar a curto prazo. A partir de 2017, vislumbra-se um tímido início de retomada, que deve crescer de forma lenta e gradual nos próximos anos. A última vez que o mercado brasileiro de veículos teve um crescimento significativo foi em 2010, quando foram vendidos 3,5 milhões de unidades no país.

Segundo projeções apresentadas pelo Bradesco, o mercado automotivo brasileiro deve alcançar cerca de 2 milhões de unidades vendidas em 2017, o que representaria um crescimento de aproximadamente 2% em relação ao ano de 2016. Para 2018, a expectativa é de vendas de 2,22 milhões de veículos, alta de 4%.

O encontro também concluiu que têm havido importantes mudanças no comportamento dos consumidores,que estão comprando menos veículos “tradicionais” (GM, Volkswagen, Fiat e Ford). Por conta disso, outras montadoras têm avançado no país, como a Hyundai, Toyota e Honda, e é bastante provável que esse movimento continue em 2017.

Ainda segundo os especialistas, também espera-se um avanço nas exportações se o câmbio permanecer favorável e houver novos acordos comerciais do Brasil com novos parceiros. Outra questão emergencial levantada no debate foi a necessidade de mais criatividade por parte dos fabricantes para a superação da crise, uma iniciativa para além do aumento de preços.

Em meio aos desafios do mercado, a Controlflex mantém o seu compromisso de fornecer para o segmento de automotivos pesados (onibus e caminhões) produtos de excelência e investir constantemente em inovação, apresentando diferenciais que a distinguem e fortalecem no segmento de autopeças.